Envios gratuitos de segunda a sexta-feira

A nova tendência: jardim de plantas suculentas

Planta suculenta em vaso

As plantas suculentas são a mais recente moda na decoração de jardins. Estas plantas são pequenas em tamanho, mas imensamente resistentes e encantam os olhos de qualquer um. Não conhece que espécie de plantas é que estamos a falar? Está mesmo no sítio ideal. Hoje iremos conhecer algumas das principais plantas utilizadas tanto para decoração de casas, jardins ou até mesmo estabelecimentos comerciais.

Estas plantas compõem-se de características muito peculiares. O seu nome, suculentas, deve à sua capacidade de armazenamento de água em quantidades muito superiores às outras plantas. Esta é uma adaptação que permite a sua sobrevivência por períodos prolongados em ambientes áridos e secos, que para outro tipo de plantas seriam inabitáveis. Para além disso, dada a necessidade de adaptação a climas extremos, a evolução natural destas plantas observa-se também ao nível das suas folhas e caule. Verifica-se uma diminuição da área de superfície, com menor número e comprimento de ramificações e observa-se a produção de uma camada de “cera” na extensão da folha e caule. Estes processos permitem minimizar as perdas a nível da transpiração e evaporação e consequentemente, maximizar a capacidade máxima de retenção de água. 

A Babosa, mais conhecida por Aloe vera, é uma das plantas suculentas mais conhecidas em todo o mundo. É utilizada para diversos fins, mas principalmente a nível de cosmética ou medicinal. Conhecida desde a civilização egípcia como “planta da imortalidade”, apresenta tipicamente caule curto e folhas grossas, de cores verde a cinza-esverdeado. 

Existem diversas descrições botânicas desta planta, no entanto Carl Linnaeus foi o primeiro a descrever este género em 1753, havendo relatos posteriores de Nicolaas Laurens Burman, que em 1768, a designou por Aloe vera no seu livro Flora Indica. A distribuição desta planta não está totalmente clarificada, uma vez que foi amplamente cultivada por todo o mundo. Contudo, pensa-se que as suas vertentes naturalizadas ocorram principalmente na Península Arábica, norte de África, bem como Sudão, Ilhas Canárias, Cabo Verde e Madeira. 

Efetivamente esta é uma das plantas suculentas com maior aplicação e comercialização, uma vez que é possível a produção de cremes ou esfoliantes através da sua folha. Um exemplo disso é a extração do gel desta planta, que poderá ser aplicado na pele, quer diretamente, quer através do uso de compressas. Esta substância é composta por 98,5% de água e apresenta imensos benefícios, uma vez que promove a hidratação da pele e contém propriedades antitérmicas, anestésicas e anti-inflamatórias. Ao nível do couro cabelo, permite o tratamento e prevenção da queda de cabelo, bem como da estimulação do seu crescimento. Para além disso, é possível a produção de chá através da folha da Babosa, tendo imensos benefícios para a sua saúde.

Alpine Essence

A partir de 30,00 €

En Provence

A partir de 30,00 €

Sunday Mondays

A partir de 28,00 €

A próxima planta denomina-se por Rosa de Pedra, de nome científico Echeveria elegans Rose. Esta tem origem mexicana e pertence à família Crassulaceae. A essência do seu nome deve-se principalmente à semelhanças físicas com uma outra planta, nomeadamente a Rosa. Se está à procura de uma das plantas suculentas que viu durante a sua pesquisa, mas está indeciso relativamente que cor escolher, esta é a planta ideal para si. Poderá encontrar a rosa de pedra em diferentes tonalidades, tais como verde, azul, rosa ou outros tons mais escuros, como por exemplo, o castanho.

Esta planta apresenta um crescimento médio entre os cinco a vinte centímetros de altura, portanto poderá facilmente cultiva-la num vaso e colocá-la na sala de estar. Para tal apenas necessita de um solo rico em matéria orgânica, bastante luminosidade e adubo rico em potássio, de forma a garantir um desenvolvimento e crescimento saudável. Para além disso esta planta é de fácil manutenção, dado que apenas, necessita de uma rega semanal, em épocas de maior calor, ou quinzenal, em estações mais frias. 

Outra espécie que também pertence a esta categoria das plantas suculentas e mundialmente conhecida, designa-se por Senecio rowleyanus, popularmente denominada de “Rosário” ou “Colar de pérolas”, dado o seu crescimento particular. Esta tem origem ao nível do Sudoeste Africano e é principalmente utilizada para efeitos de decoração, tanto de exteriores como de interiores. As suas folhas têm uma forma esférica, de modo a permitir um maior armazenamento de água. Deve cultivar estas plantas em vasos pendentes, construindo assim um ambiente exótico, repleto de beleza natural. Para além disso, esta planta deve ser colocada em locais luminosos e o solo deverá apresentar uma boa drenagem.

Por fim, destacamos ainda a planta Rabo de Burro, cujo nome científico é Sedum morganianumI. Esta tem origem mexicana e apresenta um ciclo de vida perene. O nome desta planta está relacionado com a sua forma em “vírgula”, dispostas ao redor de uma haste. Observa-se principalmente em tons de verde e pode atingir até cerca de um metro de altura. Esta é uma das plantas suculentas que poderá ser cultivada tanto num jardim exterior, como num vaso pendente no interior da sua casa. Independentemente do local, é importante utilizar um solo fértil e drenável. A Rabo de Burro não necessita de uma rega contínua, devendo apenas manter o solo húmido, não incorrendo em irrigações exageradas. 

Plantas suculentas em vasos