Envios gratuitos de segunda a sexta-feira

A tulipa do encanto subtil

Túlipa com folha

Da família das liláceas, a tulipa é uma das plantas com flor mais conhecida mundialmente, reconhecida pelos seus subtis encantos. O género está composto por quatro subgéneros e cerca de 75 espécies no total. A caracterização nem sempre é fácil, fruto das hibridações que se efectuaram ao longo do último milénio pela mão do ser humano, que feliz ou infelizmente mete a mão em tudo! Ainda assim, todas elas são bastante similares umas às outras no que à biologia diz respeito.

Planta perene e herbácea por excelência, é composta por uma flor simétrica em forma de vaso de duas a doze pétalas. O mais habitual é que seja formada por seis pétalas que podem apresentar diferentes tons e cores, desde encarnados potentes, rosas, amarelo radiante e até laranja. Com respeito ao seu tamanho, este pode variar entre os 10 e os 70 centímetros aproximadamente, já que depende um pouco da espécie. O que é certo é que nunca encontraremos florestas ou matagais de tulipas, ainda que uma planície delas seja de perder o fôlego.

Os seus bolbos precisam de tempo para se estabelecerem, tal como um bebé na barriga da sua mãe. Assim, são por norma plantadas no outono-inverno para que possam florescer em plena primavera com todo o seu esplendor. Preferem sol direto – quem não desfruta de uma boa exposição solar? – e boa luminosidade, embora não apreciem de todo o calor abrasador. Quanto às características do solo, estão mais à vontade em solos húmidos com pH neutro, ligeiramente a fugir para o ácido. Atenção que se a terra for demasiado húmida talvez não gostem da brincadeira, e olha que podem mostrá-lo pela libertação de uma molécula responsável por algumas alergias.

Alpine Essence

A partir de 30,00 €

En Provence

A partir de 30,00 €

Sunday Mondays

A partir de 28,00 €

Quanto à sua origem, ao longo da história cresceram espontaneamente no sopé de montanhas altas e inóspitas com climas temperados na Ásia Central. Foram os otomanos, atuais turcos, quem começou no início do milénio a cultivar esta planta pela sua beleza e fragrância, ainda que hoje não apresentem normalmente cheiro – já veremos porquê. A origem do seu nome é ainda um enigma para os historiadores e especula-se que possa ter tido origem num erro de tradução do persa para o turco. Os persas, pelos vistos, achavam-na parecida com um turbante e assim a apelidaram de dulbend. Nada a ver com o nome que aparece pela primeira vez registado no latim “tulipa”, é certo, mas percebemos a ideia.

Ainda assim, a faceta interessante da história começa mesmo quando estas são integradas na sociedade europeia do final do século XVI. Foi na Holanda que estas flores mais tiveram repercussão, e foi aí que se cruzaram de forma a que perdesse o cheiro, qualidade pretendida pelos holandeses. Com a sua popularidade em ascensão meteórica, apanhou boleia da Era Dourada holandesa e foi no início do século seguinte que se deu um dos episódios mais marcantes na história da economia mundial – a tulipomania. Nesta altura o valor das tulipas era tão elevado que uma mão cheia delas valia dezenas de milhares de euros nos dias de hoje. Chegaram-se inclusive a negociar bolbos que nem sequer tinham sido colhidos ainda, um absurdo especulativo nos dias que correm. Depois, subitamente o valor de ditos títulos desceu vertiginosamente e os mercados implodiram.  A crise que se seguiu alastrou-se pela Europa fora, tudo por culpa de umas flores. Está visto que não são umas flores quaisquer! Ainda assim, atualmente não tens que te preocupar com isto, não precisarás propriamente de hipotecar a casa para oferecer um bom arranjo a quem mais gostas!

Cores e significado

E por falar em quem mais gostas, é momento de esmiuçar o significado de algumas das cores mais populares da planta. Começando pelas vermelhas, estas costumam associar-se com o amor, a paixão ardente, mais pela cor em si que pela própria flor. A amarela é da cor do sol, associa-se a prosperidade, a conforto, alegria, como se de um futuro risonho pela frente se falasse. A flor branca, assim como a rosa respectiva, adquire uma conotação de paz mesmo em tempos de guerra, de pureza, de imaculidade, de novos começos. Temos ainda a cor-de-rosa, demonstrando afeto e carinho, um sinal inequívoco de que o destinatário é alguém que assume um papel preponderante na tua vida, como a tua mãe. Por fim o cor-de-laranja, sinal de apreciação e ao mesmo tempo de vigor, de força.

Dito isto, temos aqui um belo exemplo de flor delicada, dona de uma beleza simples e encantos subtis. Se és daquelas pessoas mais discretas para quem demonstrações irreverentes e extravagâncias não têm tanta piada, encontras aqui a solução ideal para ti. Faz acompanhar o teu arranjo de uma mensagem personalizada e dá a entender ao teu ente querido que darias tudo por ele. Aproveita e remarca que vale muito mais que as próprias tulipas, mesmo que ainda vivêssemos em plena bolha especulativa da Holanda do século XVII!

Túlipa amarela com folhas